Deixe um comentário

Como cuidar da pele do bebê?

Existem alguns produtos que são indicados para o bebê, porém eles precisam seguir à risca os cuidados com esta pele mais frágil, pois eles só devem ser utilizados a partir dos seis meses de vida. Mesmo assim, ainda é preciso estar atento a sensibilidade da pele da criança, pois produtos que não são indicados para elas podem provocar o surgimento de alergia aos conservantes, corantes, perfumes e outros ingredientes da fórmula.

Procure utilizar produtos de marcas confiáveis e seguras. O ideal é hidratar a pele do bebê logo após o banho, usar a toalha de maneira delicada e manter a pele ligeiramente úmida. Estes cuidados são essenciais para manter a pele hidratada, principalmente nos dias secos. Já na hora do banho, não é necessário lavar o cabelo do bebê diariamente como explica a dica da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Em caso de dúvidas, é essencial evitar a automedicação e consultar o dermatologista!

cabelosbebe

Anúncios


Deixe um comentário

Cuide da alimentação das crianças!

lancheiraa

Hoje, nossa nutricionista, Karla Christofoletti vai falar para nós sobre a alimentação das crianças e dar algumas dicas de lanchinhos saudáveis para os pequenos! Olha só:

A alimentação saudável é a ingestão suficiente de nutrientes para que as crianças consigam atingir o crescimento e desenvolvimento normais, assim como a prevenção de doenças relacionadas com a alimentação. As doenças crônicas não transmissíveis, como obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares são responsáveis por altas taxas de morbi-mortalidade no mundo todo.

Os escolares que adotarem hábitos alimentares adequados e estilo de vida saudável, terão melhor qualidade de vida na fase adulta. Existe uma grande preocupação dos pais em relação à alimentação de seus filhos e principalmente à dificuldade na hora de escolher o lanche escolar, pois o lanche mais saudável nem sempre é o que agrada a criança. Para ajudar a escolher um lanche gostoso, saudável e prático, aí vão algumas dicas:


– Fazer as compras com antecedência e planejar o lanche com as crianças;
– Evitar a monotonia de opções. Procure variar o máximo as opções de lanches;
– Sempre coloque 1 fruta na lancheira. Mas deixe que a criança participe da escolha da fruta;

– Coloque sempre uma garrafinha de água na mochila;
– Achocolatados possuem muita gordura e açúcar, devem ser evitados ou consumidos eventualmente ;
– Negociar os alimentos mais nutritivos com os menos nutritivos;
– Usar um dia da semana livre e pedir sugestão de lanche de seu filho;

Gostou das dicas? Como anda a alimentação do seu filho? Conte para nós!


Deixe um comentário

Qual a idade ideal para corrigir as orelhas de abano?

otoplastia_2As orelhas de abano não costumam ser grandes, porém elas são mais planas pela falta de dobra natural, conhecida como anti-helix, e é isto que as projeta para fora. A Otoplastia é o nome do procedimento indicado para corrigir este problema, que causa transtornos sociais na infância e adolescência.

Mas, qual o momento certo de corrigir as orelhas de abano?

Esta é uma das maiores dúvidas nos consultórios de cirurgia plástica. No entanto, o ideal é que o procedimento seja feito o mais cedo possível, para evitar piadas na escola que podem causar possíveis traumas. Porém, é necessário que a orelha já esteja totalmente desenvolvida e isto acontece a partir dos cinco anos de idade.

Por outro lado, a cirurgia também pode ser feita por adultos em qualquer momento da vida.

E você, já pensou em fazer a correção das orelhas de abano? Conte para nós!


Deixe um comentário

Fonoaudiologia e o desenvolvimento da comunicação infantil

mundoVocê sabia que a comunicação humana já começa na vida intra uterina?

Ao nascer e nos meses seguintes, quando a criança recebe estímulos, alimentos e afetividade, ela vai desenvolvendo aos poucos a recepção e a emissão da fala. Para elas, a partir dos dozes meses as palavras já tem significados e com o desenvolvimento da compreensão aliada à estimulação dos adultos, a criança vai gradativamente aumentando a produção oral e, após os dezoito meses, surgem às primeiras frases.

Logo após os dois anos, elas já conseguem entender ordens simples, identificar partes do corpo, localizar sons, prestar atenção em histórias e desenhos animados e também usar seu próprio nome. Desta forma, seu vocabulário só vai aumentando.

Quando a criança está com idade entre dois e três anos, ela pronuncia frases maiores, identifica objetos, compreende perguntas, nomeia ações, identifica partes do corpo, cores, formas e tamanhos. É fundamental haver estimulação em casa e também na escola, isto ajudará na ampliação do vocabulário e na evolução diária da comunicação.

A partir dos quatro anos de idade, a criança já deve ter todos os sons da fala instalados, com frases completas e com contexto e lógica. Ela precisa também construir diálogos e usar a comunicação em qualquer situação.

Com cinco anos e meio a seis, as alterações que ainda estiverem presentes na fala podem passar para a leitura e escrita, tornando a alfabetização mais difícil.

Muitos destes problemas de comunicação podem ser identificados pelos pais, mas para uma avaliação correta é preciso consultar um fonoaudiólogo.

Veja quais itens que indicam a necessidade de uma avaliação:

  • Entre dois e meio a três anos, não fala nada ou quase nada.
  • Não forma pequenas frases. Comunica-se por gestos.
  • Entre três ou quatro anos, fala pouco e/ou de forma incompreensível.
  • Forma apenas frases muito curtas e não mantém diálogos.
  • Tem dificuldade em entender ou cumprir ordens.
  • Gagueja.
  • Usa muito o som de /t/ (tatibitati).
  • Entre quatro e cinco anos e meio ainda apresenta omissões e/ou trocas dos sons:

troca “c-q” por “t”, por exemplo: “coca-cola” por “tota-tola”.

troca “ch-x” por “s”, por exemplo: “chave” = “save”.

troca “j-g” por “z”, por exemplo: “jogo” = “zogo”.

troca ou omite o R ou L em grupos consonantais: pr,tr,cr,fr,dr,gr,vr e pl,tl,cl,fl,bl,gl.

troca ou omite sons do tipo: as, es, is, os, us e ar, er, ir, or, ur.

troca sons entre si, dos pares: p/b, t/d, c-q/g, f/v, s/z, ch-x/j-g.

troca e/ou omite quaisquer outros sons.

E lembre-se! A ajuda profissional é fundamental para auxiliar no desenvolvimento da comunicação infantil!