Como saber quando a pinta na pele é perigosa?

Deixe um comentário

pintapele

Há algum tempo, qualquer pinta na pele era sinônimo de câncer e muitas pessoas removiam a pinta imediatamente. Mas, atualmente, através de um exame minucioso, já é possível diferenciar as pintas perigosas das inofensivas.

As pintas são formações lisas ou rugosas, que podem ser planas ou em relevo e que apresentam tons castanhos. A hereditariedade e a exposição solar são fatores que contribuem para o surgimento das pintas e quanto mais você toma sol, maiores são os riscos de surgir pintas precocemente.

No entanto, nem todas elas são perigosas e também não oferecem riscos de se tornarem malignas, porém é preciso estar atento as que surgem em locais mais escondidos. Embora as pintas cancerígenas apareçam mais em áreas expostas, elas também podem aparecer em locais, como embaixo do braço, nos dedos dos pés, na palma das mãos e nos genitais.

Nem todas as pintas precisam ser removidas, mas elas devem ser acompanhadas pelo médico, caso haja uma evolução da mesma. A pinta pode ser monitorada e reavaliada a cada três ou seis meses.

Mas, o que fazer em caso de câncer de pele? É fundamental extrair a pinta e o tecido ao redor e dependendo do estágio do tumor, pode haver a necessidade de fazer quimioterapia ou imunoterapia.

De qualquer forma, a avaliação médica é fundamental para analisar as pintas e identificar quais são as que oferecem risco à saúde. Procure sempre um dermatologista! Cuide-se, evite a exposição solar excessiva e use filtro solar.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s